• PDF
  • Imprimir

Desemprego, lá e cá

  • Qui, 12 de Abril de 2018 09:14
  • teresa-bergher-secretaria-moradores-de-rua-oglobo

    Portugal – 7,8%; Brasil – 12,6%.

    Portugal está comemorando queda na taxa de desemprego, que havia chegado, ano passado, a 9,9% e que, agora, baixa para 7,8%. A nós, brasileiros, só resta invejar a retomada da economia portuguesa, fruto de programas desenvolvidos com capacidade de gestão e austeridade. Porque nossos números ainda são de assustar: em março, o Brasil registrava desocupação de nada menos de 12,6% da população economicamente ativa, o que equivale a mais de 12,5 milhões de pessoas.

    Aqui no Rio, o IBGE registra mais de 1,2 milhão de cidadãos sem ocupação. Mas, estatísticas nem sempre retratam a realidade, e os números oficiais não costumam abranger o subemprego - este sim, uma praga que salta aos olhos. Um passeio pelas ruas da cidade deixa isso bem claro, com calçadas tomadas por vendedores ambulantes, que, por vezes, dividem o espaço com famílias inteiras, o mais cruel dos subprodutos do desemprego.

    Em âmbito nacional, notam-se pequenos sinais de recuperação da atividade econômica enquanto, aqui, nada indica que a situação vá melhorar. A prova está nas centenas de lojas fechadas e nos inúmeros negócios interrompidos, demonstrando que nossa cidade - que tem no setor de serviços a base de sua economia - ainda vai levar tempo para se recuperar. E não dá para comemorar nem o aumento de 12% na arrecadação da Prefeitura no 1º bimestre, em relação ao mesmo período de 2017. Porque ele, sem dúvida, resultou muito mais do brutal aumento do IPTU do que de eventuais sinais de recuperação econômica.

    Desemprego, lá e cá

    Adicionar comentário