• PDF
  • Imprimir

Balanço geral é possível?

  • Qui, 20 de Dezembro de 2018 11:38
  • fideano-blog-psdbcarioca

    "É dentro de você que o Ano Novo/cochila e espera desde sempre." Drumond

    Será que 2018 realmente terminará? Afinal, foi um ano de múltiplos problemas, em que divisões geraram agressões e a incivilidade dominou o Brasil e os brasileiros. Chegamos neste quase final irritados, desiludidos, desesperançados e tristes, muito tristes. Porque, ganhando ou perdendo as eleições, o que fica é a frustação permanente e um olhar adiante meio desconfiado. Há um certo caos institucional, decisões e contra decisões, idas e vindas que provocam insegurança e irritação. Uma névoa cobre o horizonte e tolda nossa visão de futuro.

    Mas assim é a vida. Só nos resta enfrentá-la. Com disposição de luta, mas com compreensão das enormes diferenças que têm dominado nossas vidas e aceitação de que assim será. Até que novos tempos aglutinem os que se apartaram. Até que se abram as portas da compreensão e que se avance em ideias e propostas que levem em conta não crenças ou ódios, interesses deste ou daquele tipo, mas, essencialmente, o que a população brasileira e, particularmente, a fluminense precisam: gestores sérios, competentes e éticos, políticas públicas que levem serviços públicos de qualidade a TODOS, políticos que se comprometam com as grandes causas da população e não consigo mesmos e seus projetos pessoais. Precisamos de um banho de credibilidade e que seja acionada, em doses maciças, a confiança. Para, finalmente, encontrarmos nosso rumo em direção do futuro que merecemos.

     

    Fica aqui trecho de poema de Carlos Drumond de Andrade, para refletirmos:

    "Não precisa

    fazer lista de boas intenções

    para arquivá-las na gaveta.

    Não precisa chorar arrependido

    pelas besteiras consumidas

    nem parvamente acreditar

    que por decreto de esperança

    a partir de janeiro as coisas mudem

    e seja tudo claridade, recompensa,

    justiça entre os homens e as nações,

    liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,

    direitos respeitados, começando

    pelo direito augusto de viver.

    Para ganhar um Ano Novo

    que mereça este nome,

    você, meu caro, tem de merecê-lo,

    tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,

    mas tente, experimente, consciente.

    É dentro de você que o Ano Novo

    cochila e espera desde sempre."

    Balanço geral é possível?

    Adicionar comentário