Professor Adalmir: Unidade de atendimento a crianças com deficiência está degradada

  • Qua, 18 de Abril de 2018 11:22
  • capsi-mare-vereador-adalmir-psdbcarioca

    Comissão de Vereadores da Câmara realiza diligência em Capsi na Maré nesta quarta (11).

    Ausência de médico, falta de água, iluminação deficiente, infiltrações nas paredes, queda de reboco e climatização falha nas salas foram apenas alguns dos problemas identificados pela Comissão da Pessoa com Deficiência da Câmara do Rio de Janeiro em diligência, nesta quarta-feira (11), ao Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPSi) Visconde de Sabugosa, em Ramos, próximo à comunidade da Maré. A Comissão é integrada pelos vereadores Professor Adalmir, Luciana Novaes e Dr. Carlos Eduardo.

    "O que encontrei por lá foi de partir o coração. Lamentavelmente, a estrutura encontra-se precária e o atendimento aos pacientes absolutamente comprometidos. Para mim, o pior foi identificar que não há um médico sequer no local, pois o último teve o seu contrato vencido e não renovado. Se alguma criança sofre um surto, é necessário fazer pedido emergencial e aguardar chegada da ambulância. Isso é total descaso, um absurdo tremendo, um desserviço a essas pessoas que sofrem ainda mais com os problemas encontrados na rede pública de saúde", pontuou o vereador Professor Adalmir.

    O Capsi Visconde de Sabugosa conta, atualmente, com 570 crianças e adolescentes inscritos e têm assistido apenas cerca de 240 pacientes por semana. O déficit no atendimento seria por conta dos problemas estruturais e de falta de profissionais que enfrenta, conforme salienta a diretora Márcia Cristina Gomes. Hoje a equipe multidisciplinar atuante é composta por duas terapeutas ocupacionais, duas psicólogas, uma fonoaudióloga, três técnicas de enfermagem e uma enfermeira. O espaço – que funciona dentro de um CIEP que fica na Avenida Guanabara, em Ramos, na comunidade da Maré, de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h – está sem abastecimento de água há um mês.

    Das cinco salas de que dispõe, apenas uma está apta para a realização de atividades. A área reservada para os trabalhos coletivos está sem condição de uso por falta de climatização e equipamentos há mais de um ano.

    As irregularidades identificadas pela comissão serão detalhadas em um relatório, por meio do qual a mesma buscará as soluções cabíveis.

    Professor Adalmir: Unidade de atendimento a crianças com deficiência está degradada